17 agosto, 2009

maybe

Não sei que tipo de pessoa sou para me dar ao luxo de te fazer ouvir os meus dramas, e provavelmente é por isso que te ligo e sou capaz de ficar horas contigo ao telefone a chorar como se a minha vida fosse acabar neste momento, sem dizer o que quer que seja, só mesmo para chorar a ouvir a tua voz como música de fundo.
Provavelmente não sou boa pessoa, nem completamente normal, mas a verdade é que passei grande parte dos ultimos tempos a dormir acordada, á espera que algo como as saudades (ou a verdade) me acordasse.
Tu sabes porque choro, mas evitas tanto quanto eu, e essa é a razão pela qual talvez nao te meta a ler este texto. Porque a maioria das vezes dás a parecer que o mundo á tua volta te é indiferente, e que eu sou uma mera pessoa que passou por ti e te disse "Olá", uma pessoa totalmente desconhecida que nunca tiveste interesse em conhecer.
Talvez essa pessoa estivesse sempre a olhar por ti, do outro lado da rua quando tu passavas de mochila ás costas, talvez ela tenha chorado muitas vezes no escuro e gritado muitas vezes no silêncio, sem tu saberes nem ouvires. Talvez ela te odeie e tu não saibas, ou talvez te ame e nem ela própria o sabe. Talvez ela seja a unica que te sabe tirar da loucura da solidão quando tu menos esperas, talvez.
Talvez sejas a razão do porque de ela sorrir, do outro lado da rua. Talvez ela seja a unica que te conhece e que sabe os teus passos, a maneira como andas, como cantas a música que te vai na cabeça.
Mas talvez não é nada, nem para ti, nem para ninguém. Porque o talvez é muito só e inseguro.
Talvez ela chore porque a sua vida é feita de talvez, é feita de recordações e de momentos, passados e presentes, sabores e dissabores, amores e ódios, quando tudo o que ela queria era ser feliz e ter certezas.

~ 16 de Agosto de 2009

3 comentários:

  1. "speak the truth, even if your voice shakes" .. sê feliz feiticeira :$ tu mereces *

    ResponderEliminar
  2. Leonor...

    Maybe...Sim, tantos "talvez" existem dentro de nós...Perguntas sem respostas e respostas sem perguntas...maybe

    Mas, há algo que nunca foi alterado: A vontade de viver o amor no azul do céu ou nas ondas do mar da felicidade. Esse planeta existe - basta procurar na rua do nosso viver - não importa qual o lado..maybe..

    beijos ( tinha saudade de estar aqui)

    Pj

    ResponderEliminar